Diabetes na infância: tipo 1 da doença é o mais comum entre crianças

Descobrir que o filho de apenas 1 ano de idade tem diabetes foi um grande susto para a servidora pública Ana Carolina Torelly. Rafael, hoje com 4 anos, foi diagnosticado com o tipo 1 da doença, o mais comum entre as crianças.

— O diagnóstico abalou muito a nossa família. Esta é uma doença que demanda muita atenção — conta Ana, acrescentando que Rafael precisa tomar insulina injetável duas vezes ao dia, o que não o impede de fazer todas as estripulias típicas da idade.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o diabetes infantil cresce 0,3% ao ano. No Brasil, há aproximadamente 30 mil crianças diabéticas, segundo a Federação Internacional de Diabetes. Com isso, o país ocupa o terceiro lugar no ranking de nações com mais diagnósticos da doença na infância.

O tipo 1 não tem cura, mas tem controle. A doença autoimune faz com que o sistema de defesa do corpo combata as células que produzem a insulina no pâncreas, informa o Extra.

— Sem a insulina para levar a glicose para dentro da célula, o açúcar na corrente sanguínea aumenta — explica a endocrinologista pediátrica Fernanda André.

Denise Franco, endocrinologista e diretora da Associação de Diabetes Juvenil-ADJ Diabetes Brasil, explica que este processo é necessário para dar ao corpo o produto que deveria ser fabricado pelo pâncreas, substituindo a função do órgão:

— Para saber a quantidade necessária de insulina que deve ser aplicada, é preciso medir a glicose no sangue durante o dia todo. Essa medição é feita, normalmente, antes das refeições.

Já no diabetes tipo 2 — que, apesar de ser mais comum em adultos, tem crescido entre as crianças por conta da obesidade infantil —, o organismo produz insulina, mas se torna resistente a ela ou não a utiliza corretamente. Os dois tipos podem ser diagnosticados por meio de exame de sangue.

Sintomas

Sede em excesso

Se o seu filho está bebendo água mais do que costumava beber, pode ser um sinal de alerta para o diabetes tipo 1.

Muita vontade de fazer xixi

Do mesmo jeito que a criança passa a beber muita água, ela também aumenta a frequência de idas ao banheiro. Pode acontecer de crianças voltarem a fazer xixi na cama por não conseguirem controlar a urina.

Fome demais

A criança passa a comer mais do que o normal e não engorda.

Emagrecimento rápido

A criança começa a emagrecer sem nenhum motivo aparente.

O que fazer?

Se os pais perceberem estes sintomas em seus filhos, eles devem procurar imediatamente o pediatra da criança e pedir a realização de um exame de sangue que aponte a quantidade de glicose presente no sangue da criança.

14/11/2018